À ESPERA DA MARÉ ALTA


Ao mar, que toda a tua vida tanto amaste, 
estarás oferecendo o que de ti sobrou. 
Estampado no teu tronco há o desgaste 
que o tempo, impiedoso, lhe deixou.
Desejarás perpetuares-te na coragem, 
de mergulhares onde nunca ousaste entrar.
Jazerás só, despido e sem qualquer bagagem, 
eternamente esquecido nesse mar.


Data da criação deste conteúdo:
2021-11-05