FOI UM TEMPO ASSAZ AMADO!


Rosarinho Maldonado Gonelha,
a minha alma está sã,
mas a mente...está co’a telha,
minha doce amiga-irmã.

Tenho-te no meu pensamento, 
a toda a hora, em todos os instantes.
Oh! Distância! Oh! Meu tormento,
minhas saudades constantes. 

Não te falar, sufocou
tanto ainda por dizer...
Não aquilo que nos chocou
mas o que nos deu prazer.

Cada dia era especial!
- esquece o caso da camisa,
e o grande cerimonial,
naquela noite precisa...

Quis mostrar-te a obra de arte,
que na “Obra das Mães” fiz...
e vesti-me “Very Smart”,
mas tu... se recordas...  ris.

Na próxima ocasião,
que nos vejamos de novo,
trajarei um camisão
de tecido casca de ovo.

E se fado for consentido...
cantaremos a um passado,
que nunca será esquecido.
Foi um tempo assaz amado.

2022-12-07
Imagem: Nick Wherli